Trilha da Pedra do Sino

Nascer do sol depois de subir a trilha da Pedra do Sino

Nascer do sol na trilha da Pedra do Sino, Parque Nacional da Serra dos Órgãos, lado Teresópolis

TRILHA DA PEDRA DO SINO

Saiba tudo sobre a Trilha da Pedra do Sino, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Rio de Janeiro!

A trilha da Pedra do Sino, a montanha mais alta da Serra dos Órgãos, é muito procurada e sem dúvida uma das mais importantes no montanhismo nacional. É uma trilha “de respeito” mas que também é bastante acessível a todos. Aqui vão minhas dicas para você curtir bastante esse passeio:

Onde fica a Pedra do Sino?

A Pedra do Sino fica no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no lado Teresópolis. A Serra dos Órgãos fica no estado do Rio de Janeiro e faz parte da Serra do Mar.

Como chegar na Serra dos Órgãos?

Para quem vai do Rio de Janeiro, você precisar pegar a Linha Vermelha, depois a saída para Petrópolis/Teresópolis (BR-040) e depois a saída para Teresópolis (BR-116). Assim que terminar de subir a serra, quando chegar no mirante do Dedo de Deus, basta fazer o retorno à esquerda e seguir como quem vai para dentro de Teresópolis. A entrada do parque fica à esquerda depois de uns 5 minutos. É preciso passar dela, fazer o retorno e voltar, pois a entrada fica numa curva e é perigoso cortar a pista da esquerda (contra-mão). Link do GoogleMaps.

Onde começa a trilha da Pedra do Sino?

Chegando no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, do lado de Teresópolis, basta seguir até a Barragem, um ponto dentro do parque. É na Barragem que começa a trilha da Pedra do Sino. Estacionar na Barragem só é permitido para quem vai passar o dia. Se você for dormir, deve deixar o carro no hotel, uns 10 mins a pé antes da Barragem (podendo até ser multado se o carro pernoitar na Barragem).

Qual a distância da trilha da Pedra do Sino?

Da Barragem até o cume da Pedra do Sino são 12km. Ida e volta são 24km. Da Barragem até o Abrigo 4 (Abrigo do Sino) são aprox. 11km, mais aprox. 1km até o topo da montanha.

Qual a altitude da Pedra do Sino?

A Pedra do Sino tem 2275m de altitude. É a montanha mais alta da Serra dos Órgãos.

Qual o nível de dificuldade da trilha da Pedra do Sino?

A trilha da Pedra do Sino é considerada avançada, principalmente por ser bem longa (aprox. 4 horas até o Abrigo 4) e pelo fato das pessoas fazerem com bastante peso, em geral com mochilão para pernoitar ou até fazer a travessia. Um bom preparo físico é recomendado. No entanto, a trilha não apresenta grandes dificuldades. Tem vários pontos de água para encher as garrafas e a inclinação é sempre suave. Não há nenhum trecho onde precise usar as mãos e nenhuma subida muito íngreme. A trilha é bem aberta, uma “avenida” para os montanhistas.

Recomendações antes de começar a trilha da Pedra do Sino?

– Leve pouca água, no máximo 1 litro por pessoa, pois você vai poder encher a garrafa no caminho, assim você leva menos peso.

– No verão, tenha muito cuidado com tempestades, é a temporada mais perigosa, veja muito bem a previsão antes de ir! Na temporada de montanhismo, entre abril e setembro, é necessário agendar a trilha da Pedra do Sino e os pernoites com antecedência, é muito comum o abrigo ficar lotado e não haver mais vagas.

– Use calçado adequadro. Uma boa bota/tênis de trekking é fundamental. Se o calçado estiver novo, tente “amaciar” ele antes fazendo outras trilhas, senão vão surgir umas bolhas no pé com certeza.

– Se prepare para o frio do inverno! É muito frio mesmo e as temperaturas vão abaixo de zero. No inverno é normal vermos trechos da trilha com gelo, folhas e arbustos congelados. Leve um saco de dormir bem potente (recomendo -15º no extremo), luva, gorro, segunda pele, tudo que você tiver!

– Leve comidas desidratadas e não leve penelas/pratos nem utensílios de cozinha. Isso você pode usar os do abrigo, que também tem fogão. Isso se você tiver reservado o abrigo (beliche ou bivaque). Se você for acampar, precisa levar tudo :(

Precisa dormir no parque para fazer a trilha da Pedra do Sino?

É possível fazer a trilha da Pedra do Sino em um dia, começando cedo e descendo no final do dia. Não esqueça de deixar a mochila no Abrigo 4, assim você sobe o Sino mais leve. No entanto, não é recomendado. Eu particularmente acho muito cansativo, e você ainda perde os dois momentos mais belos, que são o nascer e o pôr do sol. Portanto, vale a pena dormir uma noite no Abrigo 4, o abrigo da Pedra do Sino.

Devo levar meus filhos para a trilha da Pedra do Sino?

Sempre vejo muitas crianças nesta trilha. No entanto, é importante estar preparado e as crianças devem ser “disposição”, senão vai ter reclamação na certa. Se seus filhos curtem uma aventura, esse é um passeio muito bom para fazer em família. Tente aliviar o peso das crianças para não ser cansativo demais para eles.

Como faço minha reserva para a trilha da Pedra do Sino?

Você precisa reservar com antecedência e pagar pelo cartão de crédito. Aqui vai o link do site oficial do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, onde você deve fazer sua reserva. É caro mesmo, não se assuste. Vale a pena pagar pelo banho quente, o frio é impossível! Aqui vai a ordem, do melhor para o pior: beliche -> bivaque -> camping. Tente sempre começar pelo beliche. É muito mais confortável dormir em uma cama e você não precisa nem levar isolante térmico, e no quarto do beliche são só 6 leitos, ou seja, 3 beliches. O bivaque é a segunda opção (precisa levar isolante térmico), e você pode dormir (ou tentar) em um quarto com 20 pessoas, algumas delas roncando bem alto. Por fim, sobra o camping, que é sempre minha última opção, já que prefiro subir a trilha mais leve, sem barraca nem utensílios de cozinha.

Dicas fotográficas para a trilha da Pedra do Sino:

– Vou começar com uma dica que eu nunca sigo, que é: leve pouco equipamento para subir leve! Eu acabo sempre subindo com 1 camera FX + 3 lentes 2.8, tripé, baterias e filtros. Se você for fotógrafo profissional, ignore esta dica :)

– Leve um tripé para fotos noturnas. Da última vez, dei a sorte (não sei se é assim o ano todo) de pegar a Via Láctea bem atrás do abrigo, por volta das 20h, antes da lua nascer. O resultado ficou bem bacana, com as barracas de camping na frente do abrigo e o céuzão estrelado ao fundo.

– Fotografe em RAW. O contraste de sombras e highlights é muito grande, com montanhas cheias de floresta (sombras) e nuvens claras (highlights). No arquivo RAW, se você acertar a fotometragem, dá para recuperar bastante informação.

– Atenção especial para o nascer do sol! Achei bem mais fotogênico que o pôr do sol. Vale a pena acordar bem cedo e subir a trilha ainda na penumbra, para pegar o espetáculo completo lá de cima. Fotos com os Três Picos ao fundo, com o contraste das pessoas contra as nuvens, funcionam muito bem. Um filtro gradual pode ajudar a não estourar tanto o céu.

– Fotografe tudo! Durante a trilha, há belas bromélias, cachoeiras e plantas características da região. Olho aberto para fazer uma documentação completa do seu passeio.

Espero que curta minhas dicas! Abaixo uma galeria com fotos da minha última subida na trilha da Pedra do Sino:

Fotos de Itatiaia, Serra da Mantiqueira, Rio de Janeiro

Trilha do Morro do Couto no planalto de Itatiaia

Fotos de Itatiaia, Fotografia Profissional no Parque Nacional de Itatiaia, Rio de Janeiro

FOTOS DE ITATIAIA

Fotos de Itatiaia na Serra da Mantiqueira, Rio de Janeiro

Entre as várias regiões de montanha que adoro, devo admitir que Itatiaia, na Serra da Mantiqueira, ocupa um dos primeiros lugares no meu coração. Fotos de Itatiaia se tornaram uma paixão desde a primeira vez que conheci o Parque Nacional. As possibilidades de fotos de Itatiaia são quase infinitas, já que o parque tem uma parte baixa, com Mata Atlântica verde exuberante, rios, cachoeiras e uma diversidade incrível de aves, e também uma parte alta, com trilhas de montanha, travessias e escaladas em rocha de todos os níveis. Perfeito para os amantes de aventura, fotografia, trekking, hiking e escalada!

Fotos de Itatiaia, Parte Baixa

Para quem vai do Rio de Janeiro para Itatiaia, a melhor forma de chegar é a Rod. Presidente Dutra (BR-116) saindo pela direita na altura do Graal Itatiaia. Da Zona Sul do Rio até a portaria da parte baixa leva em torno de 3 horas de carro. É possível ir e voltar no mesmo dia, mas existem vários hotéis dentro e fora do parque, o que pode tornar a viagem mais agradável. Em fotos de Itatiaia na parte baixa podemos explorar principalmente a Mata Atlântica e suas cachoeiras, assim como sua flora e fauna (insetos, aves, pequenos mamíferos etc) exuberantes. As principais atrações são o Mirante do Último Adeus, Cachoeira da Maromba, Cachoeira do Véu da Noiva, Cachoeira Itaporani, assim como o comedouro de aves do Hotel do Ypê, sempre com muita atividade. Aqui vale a pena levar uma lente longa (pelo menos 300mm), já que os passarinhos dão muito mole, e também um tripé, para garantir uma boa nitidez nas cachoeiras!

Fotos de Itatiaia, Parte Alta

Na parte alta, esteja preparado para pegar um pouco mais de estrada. Da Zona Sul do Rio de Janeiro até lá são bem umas 4:30 horas e a saída da Dutra é outra, uns 15 minutos mais para frente, depois do pedágio de Itatiaia. A subida da serra que leva pra Caxambu é demorada e cansativa, assim como a estradinha de terra em más condições que leva pro Posto Marcão (na entrada da parte alta). É a estrada mais alta do Brasil, fique atento aos belos mirantes que existem nela, especialmente bonitos no nascer e pôr do sol, em geral as horas que estamos entrando ou saindo do parque.

Ir e voltar no mesmo dia para fazer fotos de Itatiaia é muito cansativo, não recomendo. Neste caso, vale a pena ficar no Abrigo Rebouças (dentro da parte alta do parque, reservas com antecedência pela internet) ou em um hotel do lado de fora. No verão, chuvas são comuns no planalto e é muito importante ter cuidado com tempestades. A temporada principal de montanhismo em Itatiaia é mais no meio do ano, no período mais seco (Abril/Maio até Setembro/Outubro). O frio que faz lá em cima não é brincadeira, chegando a -10º C em condições extremas no inverno. Não é nada difícil encontrar gelo nas trilhas, nos carros e pequenos lagos congelados. Vá bem preparado, com sacos de dormir super quentes, luvas, segundas-peles, o aparato completo. Para fotógrafos, recomendo luvas finas para fotos de Itatiaia, para proteger um pouco do frio e não perder a sensibilidade com a câmera. Luvas especiais com “touch” na ponta dos dedos são ótimas para usar o celular ou câmeras com esta tecnologia.

As principais atrações da parte alta do Parque Nacional de Itatiaia são o Pico das Agulhas Negras (o mais alto do estado, com 2791m), o Pico das Prateleiras (2548m), a Pedra do Altar (2665m) e o Morro do Couto (2680m). As trilhas variam de nível moderado até avançado, e algumas precisam de equipamento de escalada e guia profissional. Há também várias outras trilhas e travessias que ainda quero explorar. É um local delicioso para fotógrafos, que mistura condições extremas de montanha, natureza espetacular e infinitas possibilidades de fotos de Itatiaia. Na galeria abaixo vai uma amostra do que já fiz por lá, espero que gostem!

Trilha do Mirante da Janela, Chapada dos Veadeiros, Goiás

TRILHA DO MIRANTE DA JANELA, CHAPADA DOS VEADEIROS, GOIÁS

Saiba todas as dicas da trilha do Mirante da Janela!

A trilha do Mirante da Janela, na Chapada dos Veadeiros, vem chamando bastante a atenção dos aventureiros, um desses fenômenos que bombam no Instagram. E não é à toa, o passeio e a foto de lá são realmente incríveis! Sou fotógrafo do Rio de Janeiro e finalmente tive a oportunidade de voltar à Chapada dos Veadeiros na semana passada, e é claro que a trilha do Mirante da Janela estava no meu roteiro desta vez. Como achei pouca informação sobre a trilha do Mirante da Janela na internet, vou postar detalhes aqui e espero ajudar outros viajantes. Vamos lá!

Onde começa a trilha do Mirante da Janela?

Mirante da Janela, Chapada dos Veadeiros, Goiás

Mapa da Trilha do Mirante da Janela, Chapada dos Veadeiros

A trilha do Mirante da Janela é bem fácil de encontrar. Provavelmente você vai estar de carro em São Jorge, então aqui vão as direções de acordo com o mapa acima: (1) Saia de São Jorge pela estradinha de terra em direção ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. (2) Pegue a esquerda nesta bifurcação. Se você errar e pegar a direita (eu errei), você chega rápido na entrada do parque e é só dar meia volta. (3) Aqui fica a antena de São Jorge, se você chegou aqui (eu cheguei), você errou e é só dar meia volta. (4) Preste atenção nestas bifurcações, basta você “seguir reto” quando estiver vindo do ponto 2 e logo você vai achar o estacionamento, marcado por uns troncos de árvore secos e pedras em formatos de cristais e mandalas. Quando você ver isso, estacione o carro, é aí que começa a trilha do Mirante da Janela. Siga na trilha que vai reto e para baixo. (5) Após andar uns 15 minutos, você chega na entrada da trilha do Mirante da Janela, marcada por uma casinha dentro de um vale com um riacho. Nela estava o simpático Graciliano, que nos ofereceu água e café e falou para não usarmos drogas pesadas. É cobrada uma taxa de R$ 10,00 por pessoa e ele explica tudo. Cuidado com a onça :) Siga a trilha. (6) Você vai começar a descer um pouco, até chegar na Cachoeira do Abismo, linda e com fundo dourado. Vale a pena parar e tomar um banho. Depois, siga das setas brancas nas pedras e continue descendo para o vale abaixo (lembre que depois você vai precisar subir isso, então leve bastante água, a Cachoeira do Abismo é o último ponto onde é fácil encher as garrafas). No vale abaixo a trilha é bem marcada, basta seguir, e lá na frente você vai subir a parede esquerda do vale para chegar no Mirante da Janela, Ponto (7). Marquei em branco no mapa a vista que você tem, fantástica, para os Saltos 80m e 120m do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, e todo o vale do Rio Preto.

Qual é o nível de dificuldade da trilha do Mirante da Janela?

Dizem que a trilha tem 8km no total, ou seja, 4km pra ir e 4km pra voltar. A trilha não é curta, mas para que está acostumado com travessias, está longe de ser longa. No geral ela é tranquila, ficando mais pesada apenas na descida do vale com a Cachoeira do Abismo, e na subida do Mirante da Janela (que você vai ter que fazer na volta também). Não são subidas nem descidas muito longas, então com um preparo razoável você tira de letra. Pessoas sem preparo podem achar a trilha avançada.

Precisa de guia na trilha do Mirante da Janela?

Seguindo direitinho essas instruções, não precisa. Eu fui com menos que isso e me virei. Se for um grupo grande com pouca experiência, vale a pena levar um guia local sim.

Dicas fotográficas importantes:

Antes de falar o óbvio, e como sou fotógrafo, aqui vão algumas coisas que curti clicar: fique atento aos jardins de cerrado com as “canelas-de-ema”, essas plantas bem características. Fotos de pessoas utilizando a trilha, subindo e descendo as escadas e curtindo um visual, também me agradam. Chegando lá no Mirante da Janela, você vai se surpreender com o visual. Fica fácil fazer uma foto boa. Acabei não indo tão cedo e cheguei no Mirante da Janela por volta de 12:30h, o que foi bom, já que é o sol da tarde que banha as cachoeiras de frente, ou seja, a luz da tarde é melhor que a luz da manhã para fotos no Mirante da Janela. E o mais importante, aquela super foto que provavelmente você já viu no Instagram, não é tãaaao fácil de achar. Estou falando da foto dentro daquele triângulo de pedras caídas, com as cachoeiras ao fundo. Vi algumas pessoas voltando na trilha sem terem encontrado, mas aqui vão as direções: quando você chegar no Mirante da Janela, na “pracinha central”, siga pela trilha da direita e continue explorando, sempre indo “para a frente”. Uma hora passa a não ficar tão óbvio. Esse lugar fica bem na beirada, então é importante continuar indo até encontrar. Boa sorte!

Vejam minhas fotos na galeria abaixo, da trilha do Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo:

Fotografia de Montanhismo no Rio de Janeiro, Itatiaia

O Parque Nacional do Itatiaia é um dos meus locais favoritos para fotografia de montanhismo no Rio de Janeiro, principalmente na parte alta. É onde estão as montanhas mais altas do Rio de Janeiro, em especial o Pico das Agulhas Negras, a mais alta do estado, com 2791m de altitude. No planalto de Itatiaia, as principais montanhas são o Pico das Agulhas Negras, as Prateleiras de Itatiaia e a Pedra do Altar. A maior parte das trilhas são acessíveis à maioria das pessoas, sem técnicas de escalada, basta um bom preparo físico. Além disso, as opções são infinitas, com vários outros picos, cachoeiras e travessias. Fotografia de montanhismo em Itatiaia não tem erro. Sempre que vou embora fica a sensação de que preciso voltar mais mil vezes!

Mountain Photography in Rio de Janeiro, Itatiaia National Park

Itatiaia National Park is one of my favorite spots for mountain photography, specially the highlands. It’s where the highest mountains in Rio de Janeiro are located, with Pico das Agulhas Negras being the highest one (9157ft high). In the highlands of Itatiaia National Park the most famous mountains are Pico das Agulhas Negras, Prateleiras de Itatiaia and Pedra do Altar. They are accessible to most people, with no climbing techniques required, just a good cardio and some hiking experience. besides, options are endless up there, with hundreds of climbing routes, peaks, waterfalls and long trekking trails. Mountaineering photography in Itatiaia is just great. Everytime I leave I get the feeling I must return a thousand times more!