Fotografia de Natureza na Amazônia

A Amazônia é a maior área verde do planeta, abrigo para incontáveis espécies exóticas, muitas ainda desconhecidas pela ciência. Sua incrível biodiversidade promove um orgasmo fotográfico, onde você pode ter qualquer lente, olhar para qualquer lado, e tem uma foto para ser feita. O que não quer dizer que não seja importante algum planejamento. O primeiro passo é fácil: escolha a Reserva do Mamirauá! Lá o negócio é sério, a mais pura experiência de uma Amazônia intocada possível. Você vai precisar voar para Manaus e depois para Tefé, uma pequena cidade no coração da Amazônia que gira principalmente em torno da pesca e de treinamento militar, com o Batalhão de Selva do Exército. De Tefé, são mais duas horas de lancha voadeira rio acima até chegar no Lago Mamirauá, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. Se você ver alguns botos ou tucuxis pulando no caminho para o Mamirauá, não se preocupe, é assim mesmo. É um lugar incrível para fotografia de natureza na Amazônia. O Lago Mamirauá e seus entornos protegidos formam uma unidade de conservação gigantesca criada em 1999, fruto do trabalho de Luiz Claudio Marigo, fotógrafo de natureza, e José Márcio Ayres, biólogo. Enfim, traga suas grande angulares, suas lentes zoom, seu tripé, na verdade traz tudo! Uma grande angular é importante para um pôr do sol com centenas de jacarés-açu dentro d’água, e uma lente zoom essencial para closes em aves e outros animais. Traga uma macro/micro também, dá pra surtar com os insetos insanos, sapos e rãs. Se você leva a sério a fotografia de natureza, recomendo PELO MENOS 4-5 dias no lodge flutuante do Mamirauá. Quanto mais, melhor, lá o show nunca acaba. Você vai fazer principalmente passeios de barco e caminhadas na floresta. Os mosquitos não são nossos amigos, então planeje as roupas com cuidado. Passar um tempo na Reserva do Mamirauá foi uma das experiências fotográficas mais incríveis da minha vida (senão a mais incrível), recomendo muito para todos os fotógrafos de natureza, profissionais ou amadores! Lá em baixo vai uma seleção de 12 fotos minhas que eu gosto.

Brazilian Amazon Wildlife Photography

The Amazon is the largest green area in the planet, home to countless exotic species, many still unknown to science. It’s unbelievable biodiversity promotes a photographical orgasm, in which you can have any lens, look anywhere and there’s a photo to be made. That doesn’t mean you won’t need to do some planning, but it’s not that hard. First step in planning is: pick Mamirauá Reserve! This is the real deal, a true unspoiled Amazon experience created to last forever. You will need to fly to Manaus (Amazonas State capital city) and then fly to Tefé, a small village deep in the heart of the Amazon based on fishing and jungle military training. From Tefé, it’s only a two hour speedboat ride to “Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá“, the best spot in the Amazon a wildlife photographer could ever wish for. The lake Mamirauá and it’s protected surroundings forms a huge conversation unit founded in May 1999, a result of the effort and passionate work of Luiz Claudio Marigo, a wildlife photographer, and José Márcio Ayres, a phD biologist. Anyway, back to photography, bring your wide lenses, bring your telezoom lenses too, tripods, in fact, bring all you have! I mean it. Having a wide angle is essential to shooting beautiful sunsets with hundreds of black caimans on the water, but zoom lenses are also important for details on birds and other animals. Bring your macro/micro too, you will go crazy with the insects and frogs. If you are serious about wildlife photography, my suggestion is you spend AT LEAST 4-5 days in Mamirauá floating eco-lodge. The more the better, the show never ends. You will do speedboat rides and forest walks mostly. Cloathing is important, so plan accordingly, the mosquitos are not our friends. Visiting Mamirauá was no doubt one of the most amazing photo experiences in my life (perhaps the most amazing), extremely recommended for every amateur or professional wildlife photographer who wants to see the real Amazon. Here is a sellection of 12 Mamirauá photos I shot:

Fotos de Ilha Grande, Rio de Janeiro, Brasil

Fotos de Ilha Grande, Rio de Janeiro

Fotografia profissional em Ilha Grande, Rio de Janeiro

A Ilha Grande é um paraíso no Estado do Rio de Janeiro, localizada na famosa Costa Verde, que vai do sul do Rio de Janeiro até o norte do litoral de São Paulo. Com um Parque Estadual em terra e parques marinhos no oceano, a ilha transborda florestas verdes de Mata Atlântica até suas praias e costões. Já estive várias vezes na Ilha Grande, mas sempre a passeio e nunca na “missão fotográfica”. Agora no começo de dezembro fui pela primeira vez com minha Nikon e o objetivo claro de produzir conteúdo e fotos de Ilha Grande, acompanhado do meu amigo e fotógrafo Marcelo Santos Braga. Meu “kit básico” para este tipo de viagem tem sido duas Nikons (uma para fotos e outra para timelapses) e uma GoPro (pela farra). Decidi que começaria com o básico, ou seja, aqueles pontos mais famosos, então nos hospedamos na Vila do Abraão e de lá partimos para nossas trilhas e passeios de barco. No primeiro dia fotografando em Ilha Grande fizemos a trilha para a Praia de Lopes Mendes, considerada por muitos guias de viagem e turismo como uma das praias mais bonitas do mundo. No caminho paramos na Praia Brava de Palmas, Praia de Palmas, Praia de Mangues, Praia do Pouso e Praia de Santo Antônio. Infelizmente no final da tarde, quando chegamos em Lopes Mendes, o tempo estava nublado. Tinha que voltar lá. No segundo dia fizemos um passeio de lancha para a Lagoa Azul, Lagoa Verde, Praia de Japariz, Saco do Céu, Praia do Amor e Praia da Camiranga. Rendeu boas fotos de Ilha Grande, não só dos atrativos naturais, mas também belos retratos dos locais, a maioria pescadores Caiçaras. Esse dia começou nublado, logo na Lagoa Azul, então também tinha que voltar lá. O terceiro dia foi de trilhas leves (mas muito calor), conhecendo a Praia de Abraãozinho, Praia da Júlia, Praia da Bica e Praia da Crena. Como tudo isso é perto da Vila do Abraão, voltamos na hora do almoço e passamos parte da tarde no píer filmando alguns timelapses. Rendeu o timelapse e vídeo de Ilha Grande acima, com 12 sequências no total. No final da tarde fizemos a trilha circular do Poção, Aqueduto de Lazareto, Ruínas de Lazareto e Praia Preta, que fica para a esquerda da Vila do Abraão. Passeio leve e gostoso, com boas chances de documentar aspectos característicos da Ilha Grande. No último dia, com só uma manhã sobrando, fechamos um táxi-boat privativo e fomos resolver os assuntos mal resolvidos, ou seja, Lagoa Azul e Lopes Mendes! A manhã estava do jeito que a gente queria, muito sol, céu azul e poucas nuvens. Foi lindo, para fechar com chave de ouro! Na próxima viagem de fotos de Ilha Grande quero subir novamente o Pico do Papagaio e fazer a trilha Abraão – Dois Rios – Caxadaço. Na verdade nem sei, é tanta coisa, não pretendo parar nunca de ir à Ilha Grande!

Ilha Grande Photos, Rio de Janeiro, Brazil

Ilha Grande is a paradise in the State of Rio de Janeiro, located in Costa Verde (Green Coast), from South Rio de Janeiro down to North São Paulo shore. With a state park on land and marine parks in the ocean, Ilha Grande’s lush green Atlantic Rainforests are present from up the mountains untill the beaches and rocky coasts, allover the place. I’ve been there many times but always just for fun, never on a photographical mission. Now in early December I went there for the first time with my Nikon DSLR camera and the clear goal of bringing good photo and video material out of Ilha Grande. My good friend and also photographer Marcelo Santos Braga joined me. My basic kit for this kind of trip is made of two Nikons, one for photos and the other for timelapses, and a GoPro (just for fun!). We decided to start taking photos of the most famous spots in Ilha Grande, so we stayed in Abraão Village for 3 nights and from there we hiked and took our boat tours. In 4 days, we were able to shoot nice photos of Praia do Abraão, Vila do Abraão, Praia do Abraãozinho, Praia da Júlia, Praia da Crena, Praia da Bica, Praia Brava de Palmas, Praia de Palmas, Praia de Mangues, Praia do Pouso, Praia de Lopes Mendes, Praia de Santo Antônio, Lagoa Azul, Lagoa Verde, Praia de Japariz, Praia do Amor, Saco do Céu, Praia da Camiranga, Aqueduto do Lazareto, Ruínas de Lazareto, Praia Preta, Poção and a lot more! Ilha Grande is a special place for the Carioca people and I never intend to stop going there. The atmosphere of fisherman locals and no cars at all, surrounded by green jungle and emerald waters is just out-of-the earth!

Fotos dos Lençóis Maranhenses, MA

Em agosto de 2014 tive a oportunidade de fazer fotos dos Lençóis Maranhenses. Como era minha primeira vez no Estado do Maranhão, já esperava que o local fosse maravilhoso, mas confesso que chegando naquelas dunas de areia fiquei surpreso com a beleza surreal e com as infinitas possibilidades fotográficas. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses entrou para a minha lista de lugares mais espetaculares que já visitei na vida. Já fui na África, Caribe, Europa, vários países da América do Sul e também dezenas de unidades de conservação no Brasil, e sinceramente não consigo pensar em nenhum lugar mais bonito que o PARNA Lençóis Maranhenses. Em 5 dias e 4 noites tirei o máximo de fotos que consegui, dormindo 1 noite em Atins, 2 noites em Barreirinhas e 1 noite em Santo Amaro. Como eu já vinha de Jericoacoara, aproveitei para atravessar o Delta do Parnaíba e chegar em Caburé, de onde peguei uma canoa até Atins à noite. No dia seguinte em Atins tive tempo apenas de visitar a Lagoa Tropical e almoçar no Canto de Atins. Na mesma tarde, peguei um barco para subir o Rio Preguiça em direção a Barreirinhas, visitando o Farol Preguiças em Mandacaru no caminho. Com duas noites em Barreirinhas, fiz os dois passeios principais (Lagoa Bonita e Lagoa Azul) e também um incrível sobrevoo nos Lençóis Maranhenses, que rendeu lindas fotos aéreas. Acabei conseguindo apenas o horário das 10am para o sobrevoo nos Lençóis, mas recomendo tentar voar no começo da manhã ou final da tarde para uma luz mais interessante. Para fechar a trip com chave de ouro, parti para Santo Amaro saindo de Barreirinhas às 6am em direção à Sangue, uma mini vila no meio da estrada que vai até São Luís do Maranhão. Não foi nada fácil chegar em Santo Amaro do Maranhão, uma cidade escondida na areia que dá acesso ao lado Oeste do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Chegando em Sangue às 7am, descobri que a jardineira que vai para Santo Amaro já tinha saído às 6am, sendo a única forma de chegar em Santo Amaro. Conversando com o pessoal do bar, fiquei sabendo que às 10am iria passar a Toyota do Sedex para buscar encomendas em Sangue e levar de volta para Santo Amaro. Na conversa, consegui uma carona por módicos R$ 40,00 até o incrível paraíso que é Santo Amaro do Maranhão. O caminho é árduo mas na chegada você já sente o clima gostoso da cidade, atravessando o Rio Alegre e entrando nas poucas ruas de paralelepípedos, sendo a maioria de areia pura. Lá, visitei à tarde algumas lagoas e curti o pôr do sol na Lagoa das Andorinhas, uma das mais bonitas da região. No dia seguinte voltei para São Luís do Maranhão onde passei dois dias antes de voltar para casa, no Rio de Janeiro. Hoje, meses depois, não tenho a menor dúvida que os Lençóis Maranhenses é o lugar mais bonito que já visitei na vida. Parece outro planeta. Adoro as fotos clássicas com as lagoas, mas realmente viajei mesmo nas fotos mais “abstratas”, com as formas e cores das dunas, principalmente no pôr do sol. Para fotógrafos profissionais, fica a dica: leve muitos cartões de memória!

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, MA, Brasil

Amazing shapes and colors during the sunset in Lençóis Maranhenses National Park!

Brazil Professional Photography, Lençóis Maranhenses National Park

In August 2014 I had the opportunity of taking photos of Lençóis Maranhenses National Park, in Maranhão State, Northeast of Brazil. As it was my first time there, I knew I should expect something beautiful, but when I got my feet on those infinite sand dunes, I must confess I was completely surprised by the unique “out-of-earth” landscape full of amazing shapes and photographical opportunities. Lençóis Maranhenses National Park is now in my shortlist of the most spectacular places I’ve ever been.  I’ve been to Africa, the Caribbean, Europe, many countries in South America and tens of conservation units in Brazil, but I honestly can’t think of anything more beautiful than Lençóis Maranhenses. In 5 days and 4 nights I made the most that I could, spending 1 night in Atins, 2 nights in Barreirinhas and 1 night in Santo Amaro.  As I was coming from Jericoacoara, I crossed the Parnaíba River Delta and arrived in Lençóis Maranhenses through Caburé. There, I got a night canoe that took me to Atins. Next morning I visited Tropical Lagoon and Canto de Atins, where I had lunch. Early afternoon I got a boat up Preguiças River which stopped at Preguiças Lighthouse in Mandacaru, very nice place to visit. With two nights in Barreirinhas, I did the two most important tours (Lagoa Bonita and Lagoa Azul) and also this breathtaking flight over Lençóis Maranhenses National Park. I could only fly at 10am but I recommend earlier in the morning or later in the afternoon for a more special light. My last stop (but not least!) was in Santo Amaro do Maranhão, a tiny little village hidden in the sand which gives access to the West Side of the National Park. I left Barreirinhas at 6am and arrived in Sangue at 7am just to find out that I had missed the Toyota ride to Santo Amaro, which had left at 6am (why so damn early??). Talking to people on a bar I found out that a Toyota would come from Santo Amaro at 10am to collect mailboxes and take them back to Santo Amaro. It was my last chance! When he arrived I managed to take a ride for R$ 40,00 to the beautiful paradise of Santo Amaro. The way there is tough, shaking a lot on the backseats of a Toyota on invisible sand paths, know only by local people. Arriving there, you can immediately feel the relaxed and charming climate of the village, crossing Alegre River and rolling over very few paved roads, mostly all sand. In Santo Amaro I visited a few lagoons and the biggest and most amazing of all was Lagoa das Andorinhas, where I spent the sunset. Next day I went back to Maranhão capital city São Luís, where I spent two days before coming home to Rio de Janeiro. Today, past a few months, I am sure that Lençóis Maranhenses National Park is the most beautiful place I’ve been in all my life. It’s another planet, completely different from anything I had ever seen. I love the classic photos of pristine rainwater lagoons, but what really got my attention was the “abstract” photos of shapes and colors of the sand dunes, specially by the sunset light. For any professional photographer, here’s my tip: take hundreds of memory cards!